109 - Uma noite quente
Na casa da madrinha, Nina encontra várias coisas em que mexer. Alice tem muitos enfeites nas estantes, muitos acessórios no quarto, sapatos que não acabam mais e maquiagens que dariam para encher um caminhão. Para um bebê, no entanto, tudo se resume em brinquedo.
-Não, princesinha, essa base é caríssima. -Diz ao ver Nina subir em sua penteadeira e agarrar. -Já sei. Você quer que eu te maquie, não é?
Cap 108 - Em um passado distante
-Gostaria de imaginar que eu não houvesse te odiado tanto naquele dia, Diego, mas você foi uma peste.
-Não tenho culpa se estava passando inocentemente por perto naquela hora. –Ele sorri de lado tentando conter a safadeza de seus pensamentos.
-Inocente, né? Você me viu pelada. 
-Quem dera.
Cap 107 - “Tintim”
Eles escolheram morar onde as imagens se desfazem, onde o tempo existe como parte de uma conspiração cruel. Escolheram a mortalidade e a fase fechada e impenetrável aonde o fim chega sem bater à porta. Escolheram aceitar a vida e se deliciar com os minúsculos detalhes que só aparecem a quem tem coragem e paciência de olhar por alguns segundos a mais. O dia a dia é a única forma autêntica de felicidade.

***

Cap 106 - Visitando a família
Eles descem silenciosamente as escadas, parando ao ouvir um barulho do lado de fora. Roberta olha para Diego com uma interrogação estampada no rosto, mas ele apenas sorri. Ao abrir a porta que dá na pequena varanda ela encontra uma cama pequena e sobre ela um pequeno pacote de pelos agitando o rabo freneticamente.
-Um cachorrinho! –Ela corre para pegá-lo, ganhando logo várias lambidas no rosto. –Ahhh! Que lindo, Diego! É nosso?
-Claro! Se você quiser!
-Lógico que quero!
-Imaginei que sim. Você se lembra do cãozinho que você encontrou uma vez quando ainda morávamos no apartamento do Caio?
-Claro! Nós não pudemos ficar com ele. Então esse...?
Cap 105 - O tempo passa...
Tempos depois...

Hello casal!
Como estão? Não sabem como estou morrendo de saudade da minha bonequinha! Ah, claro, também sinto uma leve falta de vocês, haha! O Pedro e eu estamos nos divertindo muito aqui em Miami. Ele está todo bobo depois do casamento. É uma pena que a lua-de-mel já esteja acabando. Mas a festa foi linda, né? Meu vestido foi um arraso! Depois da formatura, foi o dia mais feliz da minha vida! (E que o Pedro não me ouça, mas é que eu estava doida pra terminar a faculdade logo!).
Cap 104 - De encontro ao céu
 O trajeto todo até a mansão é alegre, mas também composto de momentos de silêncio onde reconstrução da esperança em uma vida tranquila no futuro acontece gradativamente. Os pedaços vão chegando devagar e encontrando seus encaixes perfeitos. Logo todos já são capazes de sorrir sem qualquer receio.
Quando finalmente chegam à porta, Sílvia os recebe com entusiasmo.
-Preparamos um verdadeiro banquete para comemorar!
-Isso muito me agrada. –Tomás comenta. –Já vamos comer?
-Tá morrendo de fome, meu filho? –Pedro dá um tapa em sua nuca.
-Ele tá sempre morrendo de fome. –Carla implica.
-Até parece que vocês são diferentes. Só sou realista!
-Ainda não está tudo pronto, mas vocês podem esperar na sala. –Sílvia os convida.

Seguidores