terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Cap 107 - “Tintim”

Eles escolheram morar onde as imagens se desfazem, onde o tempo existe como parte de uma conspiração cruel. Escolheram a mortalidade e a fase fechada e impenetrável aonde o fim chega sem bater à porta. Escolheram aceitar a vida e se deliciar com os minúsculos detalhes que só aparecem a quem tem coragem e paciência de olhar por alguns segundos a mais. O dia a dia é a única forma autêntica de felicidade.

***

Cap 106 - Visitando a família

Eles descem silenciosamente as escadas, parando ao ouvir um barulho do lado de fora. Roberta olha para Diego com uma interrogação estampada no rosto, mas ele apenas sorri. Ao abrir a porta que dá na pequena varanda ela encontra uma cama pequena e sobre ela um pequeno pacote de pelos agitando o rabo freneticamente.
-Um cachorrinho! –Ela corre para pegá-lo, ganhando logo várias lambidas no rosto. –Ahhh! Que lindo, Diego! É nosso?
-Claro! Se você quiser!
-Lógico que quero!
-Imaginei que sim. Você se lembra do cãozinho que você encontrou uma vez quando ainda morávamos no apartamento do Caio?
-Claro! Nós não pudemos ficar com ele. Então esse...?

domingo, 7 de setembro de 2014

Cap 105 - O tempo passa...

Tempos depois...

Hello casal!
Como estão? Não sabem como estou morrendo de saudade da minha bonequinha! Ah, claro, também sinto uma leve falta de vocês, haha! O Pedro e eu estamos nos divertindo muito aqui em Miami. Ele está todo bobo depois do casamento. É uma pena que a lua-de-mel já esteja acabando. Mas a festa foi linda, né? Meu vestido foi um arraso! Depois da formatura, foi o dia mais feliz da minha vida! (E que o Pedro não me ouça, mas é que eu estava doida pra terminar a faculdade logo!).

sábado, 6 de setembro de 2014

A luz voltou! Desculpa o apagão!

Olá!
Gostaria de dizer que o blog ficou fechado por algumas horas porque tive um problema de configuração no template. Se continuar, terei de mudar ele. Agradeço a todos que leem e acompanham há tanto tempo. Gostaria de explicar meu sumiço também. É que eu comecei um tratamento com neurologista e psicólogo depois de um pico de ansiedade que me enlouqueceu nas férias. Alguns remédios que tomei me deixaram muito mal, me dando uma confusão mental e dores horríveis de cabeça. Naqueles dias eu não conseguia entrar na internet ou fazer qualquer outra coisa porque fui realmente dopada de um jeito muito louco, foi o inferno. Fiquei vegetando por um mês e meio, dormindo 15 a 16 horas por dia, com pesadelos constantes, sem fazer qualquer coisa, seja ler, entrar na internet, escrever ou até mesmo comer. Ainda estou lidando com as consequências disso, mas graças ao psicólogo que está me atendendo (e ele é maravilhoso), eu estou me sentindo um pouco melhor.
A única coisa que digo é que não desejo a ninguém o que está acontecendo comigo, deixei passar por muito tempo. Nunca deixem passar, é um conselho. Quando mais velho o problema, mais ele vem com força e você não aguenta. Outra coisa é que vou lançar um romance ambientado no interior mineiro no final do ano. Pelo menos espero que dê tempo de lançar no final. Algumas coisas eu tirei daqui da web e acho que está bem bacana. Devo disponibilizar em pdf também para quem se interessar. Não vou abrir para público imediatamente, então vou selecionar pra quem vou mandar por aqui e pelo facebook. Quem se interessar é só dizer.

Beijo grande. Posto um capítulo novo daqui a pouco. Até mais ;)

sexta-feira, 20 de junho de 2014

Cap 104 - De encontro ao céu

 O trajeto todo até a mansão é alegre, mas também composto de momentos de silêncio onde reconstrução da esperança em uma vida tranquila no futuro acontece gradativamente. Os pedaços vão chegando devagar e encontrando seus encaixes perfeitos. Logo todos já são capazes de sorrir sem qualquer receio.
Quando finalmente chegam à porta, Sílvia os recebe com entusiasmo.
-Preparamos um verdadeiro banquete para comemorar!
-Isso muito me agrada. –Tomás comenta. –Já vamos comer?
-Tá morrendo de fome, meu filho? –Pedro dá um tapa em sua nuca.
-Ele tá sempre morrendo de fome. –Carla implica.
-Até parece que vocês são diferentes. Só sou realista!
-Ainda não está tudo pronto, mas vocês podem esperar na sala. –Sílvia os convida.

terça-feira, 17 de junho de 2014

Cap 103 - Antipulgas

A manhã é agitada. A casa cheia acaba por deixar Roberta ainda mais nervosa do que o normal. Ela desce as escadas pela décima vez roendo as unhas e encontra os rostos espantados dos amigos a encarando.
-Ela tá piorando. -Tomás comenta com Pedro.
-E olha que a gente não achava isso possível.
-Sosseguem. -Alice passa por eles e vai com Carla até a base da escada encontrar Roberta.
-Vai dar tudo certo. - Carla tenta ajudar. - Lembra do que disseram os advogados. Diego tem muito mais chances de vencer.
Roberta coloca as mãos na cintura e suspira.

sexta-feira, 30 de maio de 2014

Aviso importante!!! Ainda estou aqui!!!

Gente, estou passando pra avisar que eu não abandonei a web! Ainda amo isso aqui! O negócio é que estou é sem notebook desde o início do mês! Ele deu defeito e está na assistência, por isso não tenho como escrever. Coloquei uma internet meia boca no ipad pra sobreviver um pouco à falta do note (abstnência me matando), mas não consigo digitar direito nele pra poder postar os capítulos. Porém, como a história já está no fim, eu prometo que logo vou dar um jeito de escrever através dele mesmo. Só preciso terminar o semestre, que está muito apertado com provas e volto a ativa, ok?

Mandem energias positivas pro meu note voltar logo pra casa! Rsrs...

Beijos!

segunda-feira, 28 de abril de 2014

Cap 102 - Os três

Leonardo anda de um lado para o outro pela sala. Se Diego tiver feito alguma besteira, ele não vai se perdoar. Tudo que seu filho está passando tem muito de sua participação.
-Não fique assim, Leo, ele está bem, se não já tinham nos ligado. –Sílvia tenta acalmá-lo. –Além do mais, ele disse que iria procurar a Roberta, lembra? Talvez tenham se acertado.
-Ele não disse isso. –O homem franze o cenho. –Disse que iria ver a casa.
-E o que você acha que ele esperava encontrar?

terça-feira, 4 de março de 2014

Cap 101 - Pra toda a vida...

Roberta quer acreditar nisso, mas não é tão fácil como as palavras fazem parecer.
-Não vai dar pra esquecer. –Diz, soltando a mão dele.
-Mas não é preciso esquecer. Se a gente se empenhar nos dias felizes que virão, porque eu SEI que virão, as lembranças tristes vão perder o espaço.
Ela segura os braços e dá um passo para trás.
-Não quero que sofra. Nem você, nem a Nina. –Ela olha para o chão e começa a franzir a testa, pensativa. –Eu sou um problema, Diego. Seu pai, o meu pai, o Franco, a Pilar, a Marina, a Patrícia... Sempre tem alguém com alguma coisa contra mim. Talvez eu seja a fonte de todos os problemas.

Seguidores